segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Comemoração fora dos palcos

Parentes de bailarinos, pessoas que sempre acompanham nosso trabalham e até aqueles que só estavam passando e resolveram nos prestigiar. Esse era o público que se reuniu para assistir a performance da São Paulo Companhia de Dança, em comemoração ao seu 4º aniversário, no último dia 28, no metrô Brás. “Quando minha amiga me ligou hoje de manhã e disse que a SPCD iria se apresentar na estação do metrô eu vim correndo com a minha filha”, disse Eliane de Lima, de 37 anos, mãe de Isabella Lima, uma das garotinhas que esperavam ansiosas pela apresentação. “Quando crescer quero ser bailarina”, diz a menina que dança desde os 3 anos.
Milton Coatti, bailarino da SPCD montou as coreografias que foram apresentadas: Sensorial, um contemporâneo que levou ao espaço todos os 35 bailarinos da SPCD, e a segunda uma coreografia na qual a platéia foi convidada para dançar com os bailarinos.
“Foi extraordinário!”, exclamou Ana Claudia, 48, que havia chegado minutos antes para ver a apresentação. “Adorei, irei assistir as outras”, disse Isis Maia, 23. Maria Cristina Teixeira, 55, gostou tanto que garantiu acompanhar o trabalho da companhia daqui para frente. “Pena que não durou muito, mas já fiquei sabendo das próximas apresentações e vou assistir todas”, finaliza.
As improvisações apresentadas seguem junto da exposição Dança das Imagens para a estação Paraíso (10/02 com apresentação em 11/02) e na estação Luz (10/03 com apresentação em  17/03), ambas as mostras ficam até o dia 30 do devido mês. Se não assistiu não perca. Confira abaixo algumas fotos e a matéria exibida no SPTV na data.


Por Murilo Rocha | de São Paulo

Robson Lourenço; Um novo olhar sobre a dança

Espelhos fechados. Esse é um dos diferenciais da aula do professor Robson Lourenço. “Na minha aula os bailarinos entram em um contato profundo com sua ‘auto-imagem’, os espelhos transmitem uma visão de fora, um modelo a seguir. Eu não busco isso”, diz ele. Robson, que foi durante as últimas semanas professor convidado da São Paulo Companhia de Dança, começou sua formação em dança com aulas de sapateado, aos 20 anos de idade. Mas tarde percebeu que os rapazes que dançavam balé tinham um melhor desempenho nos saltos, então nesse mesmo periodo fez sua primeira aula de balé clássico. “Me apaixonei”, completa.
Professor há 3 anos, começou a dar aulas por meio de um convite feito por Silvia Geraldi, coordenadora na época, do curso de Dança da Anhembi Morumbi. O método usado pelo bailarino vem do princípio da percepção do próprio corpo. “Começo a aula sempre trabalhando um determinado ponto do corpo, em seguida faço exercícios de barra e no centro, focando o ponto escolhido”, acrescenta. Sua forma de trabalhar tem como base os princípios de direção óssea, princípios da coordenação motora, contato com a imagem do próprio corpo e direção de vetores.
Seus estudos tiveram inicio em meio a uma crise de limitação técnica. “Sentia que tinha alcançado um estagio e não evoluía mais”, assim, aos 29 anos, com base em métodos de grandes nomes da dança, Robson levou seus fundamentos para a sala de ensaio e graças a eles diz nunca ter se machucado durante toda sua carreira como bailarino. Ao ser questionado sobre a experiência de ser professor convidado da companhia, diz “Esses jovens são ótimos! Eles têm uma grande mobilidade e percepção. Captam rápido aquilo que eu digo e têm um forte conhecimento do balé clássico” finaliza.


Por Murilo Rocha | de São Paulo

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Metrô realiza exposição com imagens da São Paulo Companhia de Dança


Um olhar para a diversidade, para força dos conjuntos e para a individualidade de cada bailarino da São Paulo Companhia de Dança em cena é a tônica da exposição Dança das Imagens – Exposição de fotos da São Paulo Companhia de Dança, que reúne fotos de espetáculos da SPCD em estações de metrô de São Paulo. Realizada pelo Metrô, a exposição teve início no começo do mês de janeiro na estação Brás, e segue para a Estação Paraíso no mês de fevereiro. A itinerância termina em março, na Estação Luz.
Além da exposição de fotos, as estações receberão a coreografia Sensorial, criada por Milton Coatti, bailarino da SPCD. Ao final da coreografia os usuários do metrô poderão dançar com os bailarinos, e para isso foi disponibilizado na internet um vídeo ensinando os passos. Confira no vídeo abaixo.
Venha dançar com a SPCD.


Dança das Imagens | Exposição de fotos da São Paulo Companhia de Dança
De 10 a 30 de janeiro | Estação Brás
De 10 a 28 de fevereiro | Estação Paraíso
De 10 a 30 de março | Estação Luz

Improvisações dos bailarinos da SPCD nas Estações
Dia 28 de janeiro | Estação Brás | 17h
Dia 11 de fevereiro | Estação Paraíso | 17h
De 17 de março | Estação Luz | 17h

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

2012 começa animado....

Se vocês pensam que a gente desistiu do blog estão completamente enganados. Estávamos apenas de férias preparando muitas surpresas e novidades para vocês. A dança aqui na SPCD já está rolando solta. Os bailarinos novos já chegaram e estão aprendendo o repertório. Tem gente saindo, gente entrando. Tudo em movimento. Não dá para ser diferente.

Janeiro começou agitado. Hoje, dia 10, começou uma exposição no metrô Brás chamada Dança das Imagens - Fotos da São Paulo Companhia de Dança, que pode ser vista até dia 30. Depois ela vai para o metrô Paraíso, no mês de fevereiro e termina na Estação da Luz, em março. E no dia 28 de janeiro, dia do aniversário da São Paulo Companhia de Dança, faremos uma improvisação no Metrô Brás, às 17h. Se você for até lá vai ter uma surpresa e poderá dançar com a gente! Não perde vai...

Mas o post de hoje é mesmo para avisar vocês para assistirem nesse sábado, às 20h30, na Record News, o programa Link Brasil. Os bailarinos da Companhia Michelle Molina e Yoshi Suzuki gravaram hoje uma matéria super bacana sobre dança e videogame. Não dá para contar porque se não, perde a graça. Abaixo um pequeno vídeo para você ter vontade de assistir ao programa! Se ligue!.

video
Por Marcela Benvegnu, de São Paulo